Na Arena com um TOURO

0 Gostou

Autoria de Sofia Martinho:

A energia de Touro é a que nos faz conectar com a terra. Com a matéria, essa que é tão mal tratada nas conversas dos esotéricos, mas sem a qual não poderíamos, na verdade, sobreviver. Como é que pagávamos as contas, íamos ao supermercado ou nos lembrávamos de tratar do seguro do carro?

Todos nós temos a energia de Touro representada no nosso horóscopo natal e a casa a que corresponde indica-nos a área de vida onde a vamos sentir de forma mais veemente: no amor, no trabalho, na família, por aí fora. Claro que quem tem o Sol em Touro – ou seja, quem é do signo do Touro – ostenta de forma mais marcada as essências desta energia. Touro é a vontade que procura segurança, estabilidade, perenidade. Algo que dure no tempo. Foi durante a Era do Touro que as pirâmides se ergueram do solo e o que são essas míticas construções se não o máximo expoente de uma civilização que aspirava a viver para sempre, rodeada dos seus bens terrenos, pois não eram os faraós enterrados com os seus tesouros, acreditando-se que poderiam usufruir deles depois da morte? O Touro procura o que é seguro, o que acredita que não lhe vai fugir debaixo dos pés de um momento de outro. Não gosta de andar sempre a saltar de novidade em novidade, de aventura em aventura, de lugar em lugar. Mudanças não são com ele. Sente-as como demasiado desestruturantes e, porque não dizê-lo, dão trabalho e isso nem sempre chama por ele. Gosta de saber com o que conta e de poucas transformações. ‘Melhor assim’, pensa, ‘do que ainda perder o que tenho!’

Tradicionalmente, há o mito de que o Touro gosta de dinheiro. O Touro estima a segurança que, nesta sociedade, lhe advém do dinheiro (ou do emprego!). Se fosse na era feudal, queria era ter terras até a vista não alcançar. Se fosse no tempo do homem de Neandertal, queria era ter o melhor pau para matar mamutes. Tudo é relativo. O que o Touro quer é sentir-se fixo, ou não fosse o primeiro signo de terra, aquele em que o homem coloca os dois pés no chão e sente a terra firme debaixo dele e pensa ‘isto é estável’. Mas como é persistente – teimoso, dizem alguns -, claro que se quer ganhar dinheiro, vai investir a sua energia nessa tarefa. Não é fácil um Touro voltar atrás ou desistir: é capaz de prosseguir um objetivo anos a fio, até chegar lá. Mas este não será irrealista. O Touro não gosta de levantar voos. Prefere acreditar no que é provável, exequível e, claro, revestido de grande utilidade. Não vai, por certo, perder tempo em projetos grandiosos, mas sem repercussões práticas. Isso é lá com o Carneiro. O que o Touro precisa acima de tudo é de reconhecer o valor do projeto. A partir daí, agarra-se a ele com unhas e dentes… bem, e cornos também.

O Touro, regido por Vénus, sabe gozar os prazeres terrenos. É um hedonista por vocação natural. Faz dos sentidos o veículo privilegiado para experienciar o mundo: ouve, saboreia, vê, cheira e toca o mundo para lhe retirar prazer. Um bom jantar, um lugar bonito, uma peça de seda: como os sabe apreciar. Mas como deseja também ter, é possessivo e, quando se tratam dos seus relacionamentos, tem fama de ciumento. Porém, compensa isso com uma lealdade pouco comum. Prefere investir numa relação do que andar a saltar de galho em galho. Perde em aventura, mas ganha em dedicação. Mas não será nunca sexualmente aborrecido: Vénus jamais lhe permitiria. E por muito complicada que seja a relação, dificilmente o sexo não será bom!

Sofia Martinho

Acompanhem o blogue também pelo facebook, instagram e pinterest.

Deixe uma resposta