DIY: Fazer um mood board

0 Gostou

Provavelmente já ouviram esta expressão. Mood Board que, em português, significa literalmente ‘’quadro de atmosfera’’ é, na verdade, uma importante ferramenta profissional (e das mais utilzadas) por designers de variadíssimas áreas. É uma espécie de painel que ajuda a traduzir de forma muito visual e direta a mensagem que pretendemos passar num determinado momento.

Em decoração é usado, frequentemente, para nos focarmos numa ideia ou até para transmitir a nossa mensagem ao cliente, mesmo que alicerçada por outras ferramentas (como, por exemplo, o 3D tão em voga hoje em dia).

Há muito que faço mood boards, muito antes de vislumbrar sequer uma atividade em decoração. Inicialmente, apenas como forma de me inspirar e de me rodear de imagens que me fizessem sentir bem, agora com um objetivo mais lato e especifico do ponto de vista profissional, como é o caso do mood board da imagem de destaque – utilizado como ferramenta de trabalho num dos projetos que estamos agora a desenvolver.

Não existe uma regra universal para o fazer, cada um procura a sua forma, uns por via de técnicas manuais ou artesanais, outros, mais contemporâneos e digitais. Pessoalmente, e sempre que possível recorro a ambas em simultâneo.

O primeiro passo consiste em colecionarmos imagens referência que expressem, ou se aproximem, (d)aquilo que pretendemos transmitir. Podem fazê-lo recorrendo a recortes de revistas, amostras de tecidos, elementos da natureza, ou outros, como imagens do pinterest, por exemplo. Por razões óbvias, um monte de recortes ou imagens soltas no desktop não transmitem grande ideia, pelo que o passo seguinte é encontrar um suporte.

Depois de editar as imagens e criar uma composição harmoniosa do que fui recolhendo, tenho por hábito imprimir em vinil e colar essa mesma composição, em k-line, à venda em algumas papelarias ou centros de cópias. É uma boa forma de ficarmos com um suporte minimamente rígido daquilo que nos inspira apoiando alicerçando, depois, as ideias por outras ferramentas como as plantas, concept boards, e/ou 3D.

Mas esta é, naturalmente, apenas uma das formas possíveis de levar a cabo este exercício. Para muitos, a tesoura e a cola ou washi tape continua a ser uma forma terapêutica de executar esta tarefa.

Para quem é fã do digital sei de algumas ferramentas que embora não as use, podem explorar.

GoMoodboard

Niice

InVision 

Canva

Outros moodboards que eu gosto:

Créditos: www.canva.com; https://www.bloglovin.com; www.thinkmakeshareblog.com; https://www.byrosanna.co.uk; https://cocorrina.com

Deixe uma resposta