Filipa Mira diz-nos como ‘Cuidar da Casa’

0 Gostou

Provavelmente já a viram na televisão ou leram algumas das suas crónicas aqui mesmo no blogue. A Filipa Brandão Mira é a nossa cronista mais ecológica e tem um enorme orgulho naquilo que faz. No início deste mês lançou o livro ‘Cuidar da Casa’ onde desvenda muitos dos seus ‘truques’ para organizar, limpar, economizar, reciclar e, claro, decorar!

Antes disso, voltei a entrevistar a autora, (a primeira entrevista está aqui), desta vez para que possamos perceber, afinal, o segredo do sucesso deste livro e que truques ‘guarda na manga’ no que respeita a ‘Cuidar da Casa’?

 

EntrevistaFBMcapalivro

Como surgiu a ideia de escrever este livro?

FBM: Na sequência de uma participação minha no programa ‘A tarde é Sua’, da Fátima Lopes, na TVI. O tema era ‘limpeza da casa com produtos caseiros’, e no final, tive imensas abordagens de pessoas com curiosidade sobre os produtos e técnicas de que falei no programa. Paralelamente, a editora Esfera dos Livros, demostrou interesse na concretização de um livro sobre os cuidados a ter utilizando produtos  antigos e caseiros e, claro, sobre reciclagem.

como encarou o desafio?

FBM: Para mim foi um sonho. Aceitei-o com toda a minha alma, apesar de não considerar uma tarefa fácil uma vez que a escrita não era uma área que dominasse, de forma alguma! Mas como sou apologista de que devemos partilhar o que sabemos em benefício de outros, acabou por ser uma mais-valia, não apenas para mim mas também para os outros, no sentido em que o livro pode suscitar novas informações, partilhas, conhecimentos…logo, evolução.

O que podemos encontrar em ‘Cuidar da Casa’?

FBM: Muitas dicas de limpeza e arrumação. Desde ficar a saber como organizar planos de limpeza, aos melhores utensílios, produtos e técnicas a aplicar. Abordo cada uma das divisões da casa, começando pela cozinha (o capítulo mais intensivo), seguindo-se a sala, escritório e biblioteca, descobrindo como mantê-las em ordem. Passando depois pela sala de jantar, com a respetiva limpeza, organização e iluminação; hall; quartos (onde falo também de decoração, reciclagem, arrumação, cuidar dos armários… ); às casas de banho, e rituais de limpeza diários. Antes de terminar ainda abordo as lavandarias, com dicas de como cuidar da roupa, os pavimentos e a aromatização da casa.

A quem se dirige?

FBM: A todos, dos pequenos aos graúdos, pois todos precisamos de uma casa onde nos sintamos bem. Desengane-se quem pensa que se dirige apenas ao segmento feminino! Aliás, tenho reparado que os homens são ótimos donos de casa, ultra preocupados em manter as casas limpas, organizadas e, muitas vezes, decoradas com artigos reciclados.

Também é bom para jovens casais que procurem conselhos e alternativas diferentes, saudáveis, económicas e uteis.

Qual a grande mensagem que procura transmitir no livro?
FBM:
A mensagem principal é a de que apesar de vivermos num mundo maravilhoso, a oferta de bens supérfluos é tão grande que facilmente nos perdemos num consumo extremo. E em tempos difíceis como este esquecemo-nos que temos pessoas ao nosso lado com saberes de outrora que são muito válidos. Podendo ajudar-nos a caminhar por outros caminhos que não os do ‘ter’ mas sim do ‘saber’, com amor e tradição. Além disso, mostrarmos interesse naquilo que sabem gera uma relação de harmonia e alegria.

EntrevistaFbmrosto

Que importância dá à casa?

FBM: Muita. É lá que crescemos, descansamos, nos alimentamos, cuidamos, amamos, sentimos, discutimos, estudamos, inventamos, criamos, trabalhamos, reciclamos, evoluímos, choramos, abraçamos, educamos, rimos, gritamos, envelhecemos e, muitas vezes, morremos… percebe por que a casa é tão importante para mim?

Numa época em que as marcas se esforçam por encontrar a melhor solução para as sujidades lá de casa, a Filipa vem dizer que com pouco mais do que bicarbonato de sódio, limão, vinagre e sal é possível fazer milagres nas limpezas. É mesmo assim?
FBM:
Sim, é verdade, mas em minha casa, nas lavagens e limpezas, os produtos mais antigos que conheço são: o bicarbonato de sódio, o limão, o sal grosso e o vinagre, e não me têm desiludido. Não ponho de parte os detergentes comerciais, mas escolho os que são menos intensos em composições químicas, e prolongo-lhes a vida. Por exemplo, ao detergente manual da loiça consigo aumentar-lhe o volume, a concentração e potenciá-lo com o vinagre e o limão.

O bicarbonato de sódio, o vinagre, o limão e o sal grosso são branqueadores, assépticos, desinfetantes naturais e até bactericidas.

Tendo em conta que cresceu a ouvir (e a testemunhar) as dicas das suas avós, já pouco a deve surpreender. Porém, qual o truque mais imprevisível que podemos aplicar e que a tenha deixado verdadeiramente admirada?

FBM: Por exemplo, depois da limpeza do congelador compre um frasco de glicerina liquida e com uma trincha dê-lhe uma demão em toda a sua superfície interior. De seguida, coloque uma pelicula aderente e vai ver que ajuda imenso da próxima vez que o descongelar.

Assume que as avós foram as suas maiores fontes de inspiração. De que outra(s) forma(s) complementou esta aprendizagem?

FBM: Verdade, as minhas avós foram a minha grande inspiração, em especial a minha avó paterna. O meu pai, também, no que diz respeito aos objetos, documentos, materiais e móveis antigos. A minha mãe na transformação de objetos e reciclagem de tecidos. Depois, os cursos ajudam a conhecer produtos, novas técnicas de trabalhar as madeiras, práticas de conservação, etc. O estar sempre atenta ao que se passa no mundo e o contacto com pessoas de grande simplicidade mas com grande conhecimento (e gosto em partilhá-lo, sem guardarem segredos), também foi fundamental.

Este livro é, também, um regresso ao passado?

FBM: Eu não quero parecer ‘velha’ ou retrograda… O que sou, realmente é uma amante de coisas, antigas e com historia. Acredito que podemos trazer coisas valiosas do passado, atualiza-las e inová-las.

EntrevistaFbmPBfinal

Quais as características de uma casa saudável?

FBM: Uma casa saudável e ecológica deve estar relacionada com verbos como: limpar, reinventar, recriar, reutilizar, reduzir, transformar, reciclar, restaurar, arejar, partilhar e abraçar (novas ideias).

A determinada altura, no livro, a Filipa refere que ‘a cozinha é o coração da casa’. Porquê?

FBM: É na cozinha que são preparadas e cozinhadas as nossas refeições. E ao cozinharmos para os outros há sempre uma ponta de carinho, boa vontade, dedicação e amor, logo há um encontro de corações… é o coração da casa!

Qual o maior truque para manter uma casa arrumada?

FBM: Todos os dias disponibilizar 30 a 45 minutos para arrumar.

Adoro esta frase, que escreve no livro: “Casas vividas são casas com alma, com história!”. Onde podemos notar que uma casa tem alma e história? O que as distingue das restantes?

FBM: Uma casa que tem alma e história é uma casa por onde passaram pessoas com muitas histórias, conversas, alegrias, tristezas, memorias, vivencias… Historias cruzadas de vidas que ainda se entrelaçam. Falo disto no livro pois fiz uma menção às minhas férias de miúda, passadas no Norte, na quinta da minha avó, numa casa onde eramos muitos. Somos uma família grande e chegávamos a juntar 30 a 40 pessoas. Claro que era uma alegria e uma animação!

As nossas casas são testemunhos sólidos do que somos. Acolhem os nossos sorrisos, lagrimas, ‘assistem’ ao nascimento e crescimento dos nossos filhos… Casas vividas são casas com alma.

Também diz: “A nossa casa é uma extensão daquilo que somos”. Já se surpreendeu com a casa de alguém?

FBM: O que quero dizer é que todos temos uma personalidade, somos diferentes e únicos, temos características que nos definem. Eu, por exemplo, gosto de cores e flores, visto-me muitas vezes assim, e em minha casa também vai encontrar cores alegres e flores. E, sim, já me surpreendi com a casa de alguém…mas sempre pela positiva!

Para quem ainda não leu o livro, pode avançar-nos com alguns produtos de limpeza improváveis?

FBM: Borato de sódio; pó de talco; limões; glicerina; borras de café; sal grosso; aguarrás; folhas de jornal; cera de abelhas; vodka…

Sugere que as leitoras façam as suas próprias caixas de arrumação a partir de caixas de fruta de madeira; que improvisem bancos de assento com baús ou que façam uma tábua de molas para panos ou recados. São exemplos que têm funcionado consigo?

FBM: Sim, e se as pessoas o fizerem, verão que a criatividade se desenvolve e funciona muito bem, mesmo, eu adoro!

Recusa-se a comprar este tipo de artigos já feitos?

FBM: Não me recuso, até gosto muito de lojas de decoração e de ver tendências, mas gosto mais de fazer e transformar objetos. Reciclar é viciante!

A reciclagem está, frequentemente, presente em tudo quanto faz. Acha que os portugueses estão, ou não, conscientes da importância da reciclagem?

FBM: A reciclagem é realmente a minha paixão! Sinto que os portugueses estão conscientes, especialmente desde há três anos. É um interesse de homens, mulheres e transversal em idades.

Participem no PASSATEMPO  e ganhem um dos três livros ‘Cuidar da Casa’

EntrevistaFbm Livro

EntrevistaFbmautografo

Filipa Brandão Mira no dia do lançamento do livro ‘Cuidar da Casa’.

Acompanhem o blogue também pelo facebook, instagram e pinterest

9 Comments

  • Miguel Moreira

    February 26, 02 2014 12:00:00

    Uma casa saudável e ecológica deve estar relacionada com verbos como: limpar, reinventar, recriar, reutilizar, reduzir, transformar, reciclar, restaurar, arejar, partilhar e abraçar (novas ideias).

  • Paula Barbedo

    February 26, 02 2014 12:00:00

    As nossas casas são testemunhos sólidos do que somos. Acolhem os nossos sorrisos, lagrimas, ?assistem? ao nascimento e crescimento dos nossos filhos? Casas vividas são casas com alma.

  • Paula Pereira

    February 26, 02 2014 12:00:00

    Mas como sou apologista de que devemos partilhar o que sabemos em benefício de outros, acabou por ser uma mais-valia, não apenas para mim mas também para os outros, no sentido em que o livro pode suscitar novas informações, partilhas, conhecimentos?logo, evolução. –

  • Paula Pereira

    February 26, 02 2014 12:00:00

    Uma casa que tem alma e história é uma casa por onde passaram pessoas com muitas histórias, conversas, alegrias, tristezas, memorias, vivencias? Historias cruzadas de vidas que ainda se entrelaçam. Falo disto no livro pois fiz uma menção às minhas férias de miúda, passadas no Norte, na quinta da minha avó, numa casa onde eramos muitos. Somos uma família grande e chegávamos a juntar 30 a 40 pessoas. Claro que era uma alegria e uma animação!

  • Nathalie Carvalho

    February 26, 02 2014 12:00:00

    É lá que crescemos, descansamos, nos alimentamos, cuidamos, amamos, sentimos, discutimos, estudamos, inventamos, criamos, trabalhamos, reciclamos, evoluímos, choramos, abraçamos, educamos, rimos, gritamos, envelhecemos e, muitas vezes, morremos? percebe por que a casa é tão importante para mim?

  • Beatriz Nunes

    February 26, 02 2014 12:00:00

    Acredito que podemos trazer coisas valiosas do passado, atualiza-las e inová-las.

  • Maria Cristina Carvalho ·

    February 26, 02 2014 12:00:00

    Porque limpar não é só abrir as janelas e fazer corrente de ar para o pó sair e porque citando a autora (A todos, dos pequenos aos graúdos, pois todos precisamos de uma casa onde nos sintamos bem. ) todos deveriamos poder ter este livro, smile emoticon

  • Maria Cristina Carvalho ·

    February 26, 02 2014 12:00:00

    Partilhem 🙂

  • Jacqueline Rodrigues Rodrigues

    February 27, 02 2014 12:00:00

    A autora transmite a força e o valor que a nossa casa tem, mais do que a nossa morada, é onde partilhamos e recebemos saúde e amor. “Que importância dá à casa? FBM: Muita. É lá que crescemos, descansamos, nos alimentamos, cuidamos, amamos, sentimos, discutimos, estudamos, inventamos, criamos, trabalhamos, reciclamos, evoluímos, choramos, abraçamos, educamos, rimos, gritamos, envelhecemos e, muitas vezes, morremos? percebe por que a casa é tão importante para mim?”

Deixe uma resposta